Todos os artigos de Ricardo Brochado

Portuguese cheese in a delicatessen shop near Bolhão Market

Porque é que o Porto será a nova M ...

Em 1415 a Cidade do Porto deu toda a sua carne para patrocinar a Epopeia dos Descobrimentos – uma desculpa esfarrapada para ir buscar as especiarias e ingredientes de África, da Índia e do Brasil – e com as carnes menos nobres e feijão branco, criou as Tripas à moda do Porto. Inovador na cozinha, o Porto, com poucos recursos faz muito!

É muito vulgar quando viajamos pela Espanha que, num qualquer momento da viagem, nos sejam apresentadas as Tapas. Podemos afirmar o mesmo em relação à Itália com as chicchetti, especialmente em Veneza, que são exactamente a mesma coisa com um nome diferente. Portugal também possui a sua versão a que orgulhosamente chamamos Petiscos.

Os três nomes designam o mesmo conceito com ligeiras variações: comida para debicar que pode ser fria ou quente, carne, peixe ou vegetais; fritos, guisados ou até crus com um ligeiro tempero; ou até pequenas porções de pratos principais, servidos em pires com palitos a servir de garfo.

Bolhao-5

O Porto como cidade portuária sofreu um sem número de influências que possibilitaram a criação de um sem número de Petiscos, que podem ser encontrados, tradicionalmente nos Tascos, pequenos restaurantes, familiares, onde se come, na maioria das vezes no balcão de alumínio que lhe é característico.

Uma das vantagens de ir a um local deste tipo é poder acompanhar a boa comida caseira acompanhada com um copo de vinho enquanto nos deliciamos com as conversas dos locais, uma mistura de futebol com os casos mais escabrosos de faca e alguidar.
O Tasco pode ser encontrado em qualquer canto e esquina e geralmente fornecem-se de ingredientes nas mercearias locais ou em algumas lojas à volta do Mercado do Bolhão, chamadas de Mercearia Fina – as lojas gourmet de antigamente que vendem os melhores produtos de Portugal.

A local Delicatessen shop - Mercearia Fina

Aqui pode-se encontrar uma enorme variedade de enchidos como chouriços, presuntos, pés e orelhas de porco; queijo, azeitonas e azeite; conservas de tudo e mais alguma coisa, como sardinhas, petingas, polvo, mexilhões, carapau, e como não podia deixar de ser, as sardinhas. Também se encontram vinhos, de mesa e do Porto, e uma enorme variedade de frutos secos como nozes, avelãs, amêndoas; as frutas desidratadas, ameixas, uvas, goji; e as cristalizadas, pêra, maçã, ananás – elementos essencias para o Bolo Rei, a sobremesa de eleição do Natal.

O pão é, também um dos elementos essenciais da gastronomia portuguesae, no Porto, podemos encontrar variedade de todas as regiões, com especial incidência para a zona de Trás-os-Montes com os pães de Vinhais, Mirandela, Padronelo, e é claro que não nos esquecemos da Broa de Avintes – Um pão espesso, escuro e bastante húmido, composto de partes iguais de milho e centeio.

Bread

Com esta quantidade e qualidade de ingredientes, podemos dizer que temos o necessário para ser a nova Meca gastronómica da Europa. A hospitalidade dos tripeiros, o clima perfeito, a tradição de boa cozinha e uma criatividade sem limites suportarão este futuro, em conjunto com uma cidade especial.
Realmente, não precisamos de provar nada, só precisamos que as pessoas venham cá e sejam surpreendidos pela qualidade, variedade e as enormes porções de comida que são servidas em todo lado nesta magnífica Cidade.

Bolhao-3

A nossa casa é a vossa casa, a porta está aberta.

Petiscos populares
Rojões – Carne de porco salteada e guisada com um sabor especial a cominhos.
Moelas – Moelas de galinha guisadas num molho especial de tomate;
Punheta de bacalhau – Bacalhau demolhado cru com grão de bico, cebola crua e azeite;
Petingas – Sardinha pequena frita – tão pequenas que dá para comer tudo, incluindo a cabeça;
Pimentos do Padrón – Roubados aos Galegos mas nacionalizados rapidamente – uns picam e outros não;
Peixinhos da horta – Feijão verde panado e frito – uma delícia;
Tábua de Queijos – Como o nome indica uma Tábua com queijos nacionais;
Tábua de enchidos – Uma escolha de enchidos incluindo diferentes tipos de chouriço, paio, presunto, etc;
Chouriço assado – Chouriço de carne assado com aguardente nova .

Manjerico Seller in Fron of S. Bento train station

O S. João do Porto – Guia rá ...

Existem muitas festas na cidade do Porto mas não há nenhuma que se compare ao S. João!

A noite de 23 para 24 de Junho é um caos organizado de amizade, sardinhas e álcool, muito álcool. Celebra-se o Santo popular, que se sobrepôs a uma festa mais antiga e pagã, a do dia mais comprido do ano, o Solstício de Verão. A igreja tentou eliminar a festa, mas com pouco ou nenhum sucesso.

Lisboa tem o Santo António, as vizinhas Póvoa do Varzim e Afurada celebram o S. Pedro, e em conjunto com o Patrono do Porto, constituem os Santos Populares com festas durante o mês de Junho.

As celebrações no Porto começam por volta das 5 da tarde e duram até à manhã do dia 24 sem horário definido. Tudo é permitido e é comum ver as pessoas a assar sardinhas e a trazer as mesas e cadeiras para a rua, e comer ali mesmo na companhia de amigos e desconhecidos.

O menu compõe-se de sardinhas assadas na brasa colocadas em cima de uma generosa fatia de broa, caldo verde, febras, pimentos assados e muito vinho e cerveja.

Enquanto estiver a jantar vai reparar que há muitos artifícios para apimentar a festa: os martelinhos de S. João, usados para bater na cabeça dos foliões, as flores de alho porro, para esfregar nos narizes, e os manjericos, que vão espalhando o seu aroma pela festa – provavelmente para contrariar o das sardinhas.

2014-06-23 12.09.15

Para além disto, antes da festa, começam a ver-se, pela cidade, as cascatas de S. João. Uma verdadeira cascata de bonecos de barro que retrata algumas das características da cidade.

A melhor coisa do S. João é que não conhecemos ninguém mas passamos a conhecer. Não há entraves nem vergonhas. Se for convidado para comer, beber ou dançar, faça-o, vai fazer novos amigos!

Todos os bairros da cidade montam um palco e há bailarico pela noite dentro, com aquelas músicas que toda a gente acha foleiras mas todos sabem a letra. Dançar, beber, cantar, numa festa profana é libertador.

2014-06-23 12.08.28

Siga o meu conselho, coma e beba durante a noite e siga a festa pelos bairros da marginal até ao mar. Quando lá chegar, não se admire de ver coisas estranhas na praia. Não é por acaso que a taxa de natalidade cresce em Março.

NOS Primavera Sound – Manual ...

Depois das compras do primeiro episódio e da mudança de visual radical do segundo, antes de nos dirigirmos ao Parque da Cidade, temos mais umas dicas para que o NOS Primavera Sound do Porto seja uma experiência fantástica.

O centro do Porto possui muitas qualidades, e permite que nos desloquemos muito rapidamente de um sítio para o outro. Para encontrarmos os elementos que faltam, não caminharemos mais do que 5 minutos, até à Praça Carlos Alberto. Tenho a certeza que tens um smarthphone espectacular ou, até mesmo, um Iphone, e que usas o Instagram a torto e a direito. A hashtag oficial é  #NOSPrimaveraSound e o Parque da Cidade é um local fantástico para captar boas imagens.

Por falar nisso, já viste as fotos do nosso Instagram?

As redes sociais evoluíram muito com o Instagram, mas sabias que a inspiração inicial partiu da Lomografia? O Movimento começou em Viena em 1991 e hoje é já considerado uma forma de arte. Existem centenas de máquinas diferentes, com efeitos espectaculares e muito diferenciados.

Alguns dos efeitos disponíveis

No Porto podem encontrar-se na Embaixada Lomográfica, e há muitas para escolher. Na loja, no primeiro andar, há um bar muito acolhedor, onde podes beber uma cerveja e até jogar matraquilhos!

Lomografia

Mas se trouxeste a tua máquina fotográfica vintage e precisas de rolos, lentes diferentes, revelações, reparações, ou até comprar uma nova (velha), deves ir às Máquinas de Outros Tempos. As pessoas são super atenciosas, simpáticas e têm uma oferta de máquinas que vão desde os €5 (!!!) até aos €2000. Rolleiflex, Nikon, Pratika, Leica, Yashica, Polaroid, são algumas das marcas que podes encontrar aqui.

Vintage cameras

Também têm Mikonas, o que pode dar origem a um sem número de trocadilhos – vá, eu deixo um, Mikona es su Kona (que por acaso é uma marca de bicicletas).

NOS Primavera Sound Porto – ...

Para os sortudos que vêm ao NOS Primavera Sound, haverá a oportunidade de ouvir os Pixies e os The National, entre muito outros, num palco fabuloso, de 5 a 7 de Junho no Parque da Cidade no Porto. Se precisarem de ajuda, nós estamos à disposição.

Chegas ao hotel, trazido por uma da muitas companhias low cost a operar no Porto, com a Ryanair e a Easyjet entre as maiores, e depois de um banho rápido resolves ambientar-te.

Podias optar por conhecer o Porto comigo mas, confesso, não me acho assim tão trendy, pelo menos ao estilo Primavera Sound.

Mal pões os pés na rua, descobres que te esqueceste dos teus óculos de sol retro. Acontece que conheço dois ou três sítios onde podes encontrar o par certo.

No CCB (Centro Comercial Bombarda) um local que mistura lojas de artesanato urbano, objectos vintage, hortas urbanas, livraria alternativa e outras, podes encontrar óculos de sol vintage usados ou completamente novos a imitar os clássicos de outras eras. Explora o Centro Comercial que não te vais arrepender.

Voltando à rua vais-te encontrar no epicentro do Bairro das Artes, onde as Galerias de Arte imperam, lado a lado com graffitis e muitas lojas alternativas.
Já protegido do sol, começas a pensar qual será a melhor forma de ir para o Parque da Cidade. Sabes que é o maior parque urbano de Portugal e um dos maiores da Europa e que tem comunicação directa com a praia – soa muito bem, não soa?! Os transportes para lá são bons mas decides que se tivesses uma bicicleta podias estar mais à vontade.

Nas calmas

Estás com sorte porque, perto do CCB, no Artes em Partes, uma loja colaborativa na Rua do Rosário, podes, entre muitas outras coisas, alugar bicicletas vintage. O aluguer custa 10€ por dia, com a apresentação de um documento de identificação ou, se gostares mesmo da bicla, comprar uma por preços que rondam os 150€. O Sérgio é a cara do projecto e Nas Calmas é o nome do projecto.

Pedalas na tua bicicleta nova e sentes o sol primaveril a bater-te na cabeça; falta-te um chapéu. Dirige-te à Rua do Loureiro, ao lado da Estação de S. Bento e visita uma das chapelarias mais antigas da Cidade, a Chapelaria Ideal. Fundada em 1890, pertence aos donos actuais há 43 anos. Os chapéus de vários feitios e tamanhos, cores e padrões, são produzidos na sua maioria em S. João da Madeira, e alguns modelos e Itália. De excelente qualidade, seguem métodos de fabrico tradicionais e podem ser comprados a partir dos 12€.
Também disponível em bóina :)

Chapelaria Ideal

Com o figurino quase completo, paras na Pastelaria Serrana, umas portas abaixo, e comes uma Bola de Berlim enquanto recuperas o fôlego.

Continua…

Tascas do Porto – a arte dos ...

A comida é o melhor desbloqueador de conversa e, nas Tascas do Porto, nem a língua é barreira para a comunicação. Estes locais são o sítio perfeito para entender a gastronomia fast-food tradiconal e a cultura das pessoas do Porto.

As hipóteses de ter comida mal confeccionada numa Tasca é nula, Os ingredientes são sempre frescos bem como a confecção dos pratos; o aprimorar dos temperos, a forma de cozinhar, e os segredos são fruto de décadas de experiências e críticas dos clientes habituais.

A cozinheira do Alfredo Portista A belíssima cozinheira do Alfredo Portista

O cliente das Tascas não é homogéneo, podemos encontrar: os habitués, que lá passam para lanchar ou almoçar, ver os amigos, ou dar duas de letra sobre as graças ou desgraças do Futebol; os pseudo gourmandes, que procuram aquele petisco perfeito; e nos dias de hoje, os turistas mais aventureiros, que eu apelido de travelers, que gostam do contacto com a autenticidade.

Os santos abençoam a Tasca.Os Santos abençoam a Tasca

Como identificar uma Tasca:
1. Espaço pequeno com muitas coisas penduradas na parede;
2. Um homem atrás do balcão e uma senhora na cozinha (responsável pelas iguarias);
3. Um balcão de aço inox (fácil de limpar), e uma montra de vidro onde se podem vislumbrar as comidas disponíveis;
4. Homens encostados ao balcão.

Adega FlorestaAdega Floresta: FC Porto, comida e bebida

O que comer:
Iscas de Bacalhau;
Combinado de Porco;
Punheta de Bacalhau;
Rojões;
Petingas;

Uma das muitas qualidades da Tasca é que as comidas são baratas, entre os 0.75€ e os 2.50€ e na sua maioria devem ser acompanhadas com vinho, em copos pequenos ou tigelas.

Street Art Edifício AXA – 20 ...

Os street artists naturais do Porto estão reunidos numa imensa e improvisada galeria de arte, mesmo no coração da Cidade.

Podem ser apreciadas as suas obras, na Avenida dos Aliados em conjunto com alguns artistas internacionais.

Street Art AXA de 30 de Abril a 1 de Junho.
Avenida dos Aliados

Horários
Segunda-Quinta 11:00-19:00; Sexta, Sábado 11:00-01:00; Domingo11:00-19:00; Segunda – Fechado.

Para melhor apreciar as fotos clique na tecla F11 do seu teclado.

Pastelaria Serrana – As apar ...

Uma pequena história sobre aparências e Bolas de Berlim. Tudo começa com dois amigos, uma pastelaria e uma senhora que os irá surpreender.

Esculturas de anjos de  José de Oliveira Ferreira

Os anjos e a decoração são da autoria de José de Oliveira Ferreira

Setembro passado. Andava eu a mostrar a cidade à Yishyene, uma amiga muito engraçada e inspiradora, quando tive uma surpresa espectacular.

Antes de mais, devo apresentar-vos a nossa amiga: é a autora de um blog de viagens que sumariza as suas aventuras pelo mundo, Smallcrazy de seu nome. No Verão passado visitou a cidade pela segunda vez e aproveitamos para lhe mostrar os nossos sítios favoritos. A Yishyene é realmente maluca, no bom sentido, e faz amigos (literalmente) em todo o lado.

Depois de um fim-de-semana de noitadas e algumas aventuras, estávamos a relaxar numa esplanada, quando me disse que estava com fome. Como já sabia que ela gostava de doces, e de comida em geral, levei-a à Pastelaria Serrana que tem as maiores (e deliciosas!!!) bolas de Berlim do Porto. São tão grandes que já nem se deviam chamar bolas de Berlim, mas sim discos.

Outra das atracções da Serrana é o fabuloso quadro que está no tecto, da autoria de Acácio Lino. Antes de ser uma Pastelaria, a loja funcionou como joalharia, e toda a decoração tinha sido encomendada para o efeito. Vale bem a pena reparar em todos os pormenores.

Estávamos ao balcão a escolher, quando a senhora, velhinha, que nos estava a servir me disse, em português:
– A sua amiga é muito bonita.

Quadro Arte Déco de Acácio Lino

O Quadro é gigantesco!

Quando digo velhinha, é mesmo velhinha. Mais de oitenta, a chegar aos noventa. Encolhida em tamanho, magra, com a cara marcada pelas rugas, e com o aspecto de muitas avós deste Porto. Podia muito bem ter conhecido o Pintor Lino e o escultor e arquitecto, José de Oliveira Ferreira, responsável pela decoração interior e pelos anjos que decoram a mezannine do primeiro andar, na segunda década de 1900.

Activei o serviço de tradução para ajudar as senhoras na comunicação. Quando disse à Dona Almerinda que a Yishyene era da Malásia, ela disse-me que conhecia muito bem, assim como a Índia, Indonésia, Hong Kong e uma série de países da Ásia! E de África!! E da Europa!!! Do mundo todo…

Contou-nos que adorava viajar e que já tinha corrido quase o mundo todo. Ainda no ano anterior tinha estado algures na Ásia, a muitos quilómetros e horas de voo. Enquanto nos contava isto, olhei para a minha amiga e vi o mesmo brilho de surpresa e admiração nos seus olhos.

A decoração Art Déco da Mezzanine.

O primeiro andar, muito romântico.


Depois de uma conversa de cinco minutos sobre viagens e experiências relacionadas, saímos, depois de andarmos um pouco em silêncio, embasbacados, chegamos à mesma conclusão: nunca pensaríamos que aquela senhora, naquele local, com aquela aparência tivesse mais quilómetros no corpo que nós os dois juntos. Acreditem que temos alguns.
Naquele momento aprendemos uma lição valiosa sobre aparências.

Pastelaria Serrana (Ao lado da Estação de S. Bento)

Rua do Loureiro 52
4000 – Porto